terça-feira, 1 de abril de 2014

O SEGREDO DO TEMPO PARA AS PESSOAS

 

 

Pessoas divorciadas, separadas, viúvas, idosas que vivem sozinhas aumenta a cada dia no mundo. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem, no Brasil, 31 milhões de pessoas que moram sozinhas. Dessas, 40% têm mais de 60 anos. É um índice considerável que representa 28% da população do país. Então, é importante descobrir o lado bom dessa fase da vida, o lado de viver só. Isso não significa solidão, há pessoas cercadas por multidões que trazem a alma vazia. Então essa questão é muito pessoal, é o lado interior de cada ser humano.

Segundo estudos realizado pela clínica de Gerontologia, pela Universidade Aberta à Terceira Idade da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UnATI/UERJ, cada vez mais as pessoas procuram manter sua identidade, independência e autonomia. Na idade de + de 50 os filhos já estão ficando independentes e muitos estão deixando o 'ninho' para alçarem seus próprios voos. As relações familiares sofrem fortes alterações e não causa surpresa se alguma estatística revelar que as pessoas com + de 50 preferem morar sozinhas a sofrer esmagamento de filhos.

As mulheres, segundo estudos, decidem viver sozinhas por sua própria escolha. Isso se deve ao fato de terem passado por casamentos difíceis. Após a separação ou viuvez quererem desfrutar de uma experiência que possa ser enriquecedora e ajudar no crescimento pessoal. Mas essa mulher necessita ter independência financeira, para não ser ‘alça’ para ninguém. Aí, então, ela colhe os frutos da experiência, da maturidade, sabedoria de viver. Encontrar um novo parceiro não é simples, pois essa mulher tornou-se sábia e não deseja ter alguém por simples companhia.Ela quer conviver com a lealdade, a sabedoria, despida de egoísmo. Ela quer viver o “nós” em plenitude.

O fato de a pessoa viver sozinha, no final da vida é fruto de uma decisão pessoal. Se a escolha foi essa, certamente esse ser irá crescer como pessoa, aprenderá a vencer medos e também a explorar as próprias capacidades. Quando a pessoa supera o desassossego inicial e o medo do desconhecido, a sensação de liberdade, confiança, é embriagadora e apaixonante.Faz aquilo que quer e vive os momentos que tem de um jeito particular.

Mas na verdade, as pessoas que passam pela experiência de viver sozinhas pensam muito antes de iniciar uma convivência e renunciar aos "doces frutos" da solidão. Elas se acostumaram a viver livres e, muitas vezes, não se sentem dispostas a tomar iniciativas que tirem essa encantadora sensação de liberdade. Tornam-se individualistas, curtem a própria companhia, tudo que a liberdade do viver oferece, sem cobranças.

Segundo avaliações psicológicas, viver só é uma experiência enriquecedora, positiva, porque ajuda a esclarecer a mente. Assim, quando ocorrrem situações de estresse, no âmbito familiar ou de trabalho, ficar só, por um momento, ajuda a se distanciar do conflito e a encontrar uma melhor solução. É possível avaliar melhor os aspectos favoráveis e desfavoráveis de um assunto, sem que ninguém influencie na decisão.De outra parte, a pessoa viver sozinha, todos os dias da vida, tem um lado difícil, que necessita ser superado com coragem e realismo.

Viver sozinha permite à pessoa vencer o medo de se olhar por dentro. É nesses momentos que as pessoas percebem que a vida, assim, pode ser agradável, uma oportunidade de refletir, corrigir erros e definir metas. Quando isso acontece, as pessoas nunca sentem solidão, têm sempre a mente ocupada, não há conflitos, existe um espírito relaxado, confiante, confiável, que ama a vida e deseja vivê-la em plenitude. Parece, até, que a vida ganha outra dimensão: aquela da maturidade, da experiência, da liberdade.

A pessoa sozinha passa a ser 100% ela mesma. Quando duas pessoas vivem juntas, acabam entrando em simbiose, mesmo que essa não seja a vontade delas. Com isso, acabam renunciando as características da própria personalidade que produzem bem-estar, porque não podem compartilhá-las com o outro. Por outro lado, quando a pessoa vive só, a pessoa sente que controla a própria vida, dá curso a suas inquietações, tem mais tempo para si e para os outros. Então, a liberdade de ter + de 50 e ser economicamente independente, a vida oferece opções: seguir sozinho; encontrar novo par; ou escravizar-se para os filhos.

Muitas pessoas ficam atadas aos filhos e netos que lhes tiram dinheiro e liberdade, dando em troca visitas rápidas, para alguém que já ofereceu tanto. E, por vezes, esses filhos ainda dificultam que esse ser precioso --- o pai ou a mãe – encontre no afago de outra mão, o calor para animar a vida. Há filhos a beber os pais, gota a gota.

E, hoje, na era da internet, as relações virtuais ganharam espaço. As pessoas dialogam com as outras, de lugares distantes. Fazem amizades virtuais, com numerosos nomes. Mas, nem sempre ter uma imensa quantidade de amigos na rede significa se sentir acolhido, amado e amparado. As redes sociais não possuem ouvidos, não escutam as batidas de um coração que deseja falar dos projetos mais íntimos.A internet conforta o solitário apenas num primeiro momento, por sentir-se a pessoa integrada a um grupo. Fora dali a pessoa fica sozinha consigo mesma, sem ter com quem compartilhar os anseios e desejos. E compartilhar essas duas coisas somente num ouvido amado e querido.

DICAS DE GRAMÁTICA

ALUGAM-SE CASAS ou ALUGA-SE CASAS?

- Alugam-se casas. O verbo concorda, sempre, com o sujeito. Igualmente diz-se: Fazem-se consertos. / É assim que se evitam acidentes. / Compram-se terrenos. / Procuram-se empregados./Publicam-se livros.

COMPROU UM GRAMA DE OURO ou COMPROU UMA GRAMA DE OURO?

- Comprou um grama de ouro. Grama, peso, é palavra masculina: um grama de ouro, vitamina C de dois gramas. Femininas, por exemplo, são a agravante, a atenuante, a alface, a cal, a grama = capim etc.

quarta-feira, 26 de março de 2014

LARGO USO DA PALAVRA “COISA”

 

 

A Língua Portuguesa é um idioma bastante rico. Também os seus falantes possuem uma criatividade invejável. Assim, há palavras que são utilizadas para designar objetos, dar-lhes atributos, ações, circunstâncias. E uma dessas palavras é “COISA”. Segundo as gramáticas de Língua Portuguesa, "coisa" pode ser substantivo, adjetivo, advérbio, verbo. Segundo o Dicionário Aurélio: De coisa + -ar. Verbo transitivo direto. Bras. Pop.1.Refletir, matutar; imaginar. Verbo transitivo indireto. 2.Bras. Pop. Cuidar; preparar: F. está coisando do almoço. Verbo intransitivo. 3.Refletir, matutar.

No meio popular, esse verbo “coisar” substitui qualquer outro que não ocorre a quem fala. Logo, “coisa” tem mil e uma utilidades na nossa língua. Quando nos falta uma palavra, “coisa” entra para traduzir o pensamento do falante. De igual modo, nas regiões do Brasil, “coisa” ganha os usos mais diversos, a depender do gosto e dos costumes do lugar. Então, pode-se dizer que essa palavra “coisa” é uma espécie de muleta, que ampara o falante quando este não encontra a palavra exata para exprimir uma ideia. Assim, essa palavra “coisa” vai ganhando as cargas semânticas mais diversas e interessantes. Ela está presente no cotidiano de nossas vidas, na poesia, na música, na literatura.

Em Portugal, por exemplo, “coisar” equivale ao ato sexual, como traduz José Machado, em seu dicionário. No Brasil, em especial no Norte e Nordeste, “coisas” é sinônimo de órgão genital: "E deixava-se possuir pelo amante, que lhe beijava os pés, as coisas, os seios" (Riacho Doce, José Lins do Rego). Na Paraíba e em Pernambuco, "coisa" pode ser cigarro de maconha. Em Olinda, o bloco carnavalesco “Segura a Coisa” tem um baseado como símbolo em seu estandarte. Em Minas Gerais, todas as coisas são chamadas de trem. Menos o trem, que lá é chamado de "a coisa". A mãe está com a filha na estação, o trem se aproxima e ela diz: "Minha filha, pega os trem que lá vem a coisa!".

Na música popular brasileira muita gente boa lançou mão dessa palavra. Alceu Valença canta: "Segura a coisa com muito cuidado / Que eu chego já." Vinícius de Moraes diz: “Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça (...)". A garota de Ipanema era a coisa mais linda do mundo. Depois, novamente Vinícius e Tom Jobim: “Mas se ela voltar, se ela voltar / Que coisa linda / Que coisa louca." Jobim e Vinicius sabiam das coisas. Caetano Veloso também sabe, olhem como canta: “Alguma coisa acontece no meu coração". E, na música "Qualquer Coisa", ele diz: "Alguma coisa está fora da ordem."Também Jorge Aragão/Almir Guineto/Luis Carlos da Vila sabem usar a palavra: "Ô Coisinha tão bonitinha do pai...". Lembram?

E tem mais, “coisa" tem história na MPB. No II Festival da Música Popular Brasileira, em 1966, estava na letra das duas vencedoras: Disparada, de Geraldo Vandré: "Prepare seu coração / Pras coisas que eu vou contar", e A Banda, de Chico Buarque: "Pra ver a banda passar / Cantando coisas de amor". Naquele ano do festival, no entanto, a coisa tava preta (ou melhor, verde-oliva). E a turma da Jovem Guarda não tava nem aí com as coisas: "Coisa linda / Coisa que eu adoro". Cheio das coisas. As mesmas coisas, Coisa bonita, Coisas do coração, Coisas que não se esquece, Diga-me coisas bonitas, Tem coisas que a gente não tira do coração.

O nosso rei, Roberto Carlos, tem preocupação com a “coisa e canta: “Coisa bonita, coisa gostosa, quem foi que disse que tem que ser magra pra ser formosa? Coisa bonita, coisa gostosa, voce é linda, é do jeito que eu gosto, é maravilhosa”. Para Maria Bethânia, o diminutivo de coisa é uma questão de quantidade, afinal "são tantas Coisinhas miúdas". Gal Costa diz: "Esse papo já tá qualquer coisa...Já qualquer coisa doida dentro mexe."

Na literatura, a "coisa" é coisa antiga. Antiga, mas modernista.Oswald de Andrade escreveu a crônica "O Coisa", em 1943." A Coisa" é título de romance de Stephen King. Simone de Beauvoir escreveu "A Força das Coisas". Michel Foucault escreveu a fantástica obra "As Palavras e as Coisas" , e por aí vai a “coisa”.

Percebe-se que a palavra “coisa” não tem sexo (gênero), pode ser masculina ou feminina. Coisa-ruim é o capeta, o câncer, a hanseníase, a roubalheira no Brasil. Coisa boa é o Brad Pitt, Richard Gere, Tom Cruise. Nunca vi coisa assim! Coisa de cinema!

Por essas e outras é preciso colocar cada coisa no devido lugar. Uma coisa de cada vez, é claro, pois uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. E tal coisa e coisa e tal. O cheio de coisas é o indivíduo chato, cheio de” não-me-toques”. O cheio das coisas, por sua vez, é o sujeito estribado. Gente fina é outra coisa. Para o pobre, a coisa está sempre feia: o salário-mínimo não dá para coisa nenhuma. A coisa pública não funciona no Brasil. E a “coisa” não para por aí nem aqui. Tem essa “coisa” do mensalão e lá vem mais “coisa” em 2014. Melhor ir com Eduardo Campos e Marina Silva, ou a coisa vai ficar preta!

Mas, finalmente, para o pobre a coisa está sempre feia. Para os ricos as “coisas” são boas. Então, muita atenção, em ano de eleição vai ter muita “coisa” para enganar o eleitor. Vamos ficar de olho nessas “coisas”. Não vendam o voto por qualquer “coisa”, por o correto é dar valor às “coisas”.

DICAS DE GRAMÁTICA

ALUGA-SE ou ALUGAM-SE apartamentos?

O certo é “ALUGAM-SE apartamentos”.

A presença da partícula apassivadora “SE” faz a frase ser passiva, ou seja, o sujeito é quem sofre a ação do verbo(= apartamentos), e não quem pratica a ação de alugar. É o mesmo que eu dissesse que “apartamentos são alugados”.

terça-feira, 25 de março de 2014

A LEITURA NÃO É ATIVIDADE GRATUITA DE ADIVINHAÇÕES

 

 

 

A leitura constitui, antes de mais nada, uma forma de comunicação. É como diz Eveline Chameux (1975, p.23) "Lire cést tenir, dans une situation de communication differée, le rôle de recepteur". O ato de ler implica, sempre, a recolha de informação visual, porque a leitura não consiste numa atividade gratuita de adivinhações. Quando a informação visual é insuficiente, as previsões tornam-se aleatórias. É, assim, a leitura, tão importante na vida da humanidade, envolve atividades diversificadas, em razão da variação própria da natureza do processo comunicativo. Para além da leitura em voz alta e da releitura, poder-se-ão distinguir, com Éveline Charmeux, (1975, p.34) cinco situações de leitura:

Situações de informação - em que o leitor se interessa apenas pelo conteúdo da mensagem e não pela mensagem em si mesma (que frequentemente destrói). Trata-se de uma leitura rigorosa, objetiva e rápida. Como exemplo, aponta a leitura de jornais, de circulares e outras mensagens de ordem administrativa e profissional.

Situações de consulta - trata-se de encontrar uma informação entre um conjunto heterogêneo, por exemplo, num dicionário ou numa enciclopédia.

Situações de ação - onde a compreensão da mensagem se traduz em atos, como nas receitas de cozinha, livros de instruções, regras de jogos.

Situações de reflexão - a leitura de uma obra literária, filosófica ou científica é seguida ou prolongada pela reflexão sobre o assunto, personagens etc.

Situações de distração - quando se lê uma revista no consultório médico, por exemplo, ou quando a leitura constituí uma espécie de evasão.

A leitura constitui um processo adaptativo e flexível, variando com a espécie de texto e os objetivos do leitor , não cabendo, por isso, num único modelo teórico. Se não existe apenas um processo de leitura, também não pode existir apenas um modelo de leitura. Todavia, partimos do princípio de que existem invariantes comuns a todos os tipos de leitura e que valerá a pena procurar, nas investigações já realizadas neste domínio, contributos que permitam configurar um conceito atualizado de leitura.

Na escola, o ensino/aprendizagem da leitura, a despeito de posicionamentos metodológicos extremos, deveria ter em conta, por um lado, que o estudante tem necessidade de aprender a recolher e a utilizar a informação visual; por outro, que deve ser também estimulado a economizar essa informação, recorrendo à informação não visual, e melhorando, por essa via, a eficiência da leitura e aprendendo a olhar o mundo sob uma ótica otimista e progressista.

DICAS DE GRAMÁTICA

"AUTORRETRATO" E "PORTA-RETRATO": REGRAS DIFERENTES

Em tempos de reforma ortográfica, muita gente pensa que as alterações foram bem mais abrangentes do que realmente foram. Há quem não compreenda por que "autorretrato" passa a ser escrito com "rr" e "porta-retrato" continua com hífen.
Esse tipo de confusão se desfaz quando a pessoa olha o que deve ser olhado: o início da palavra. "Auto-" é um prefixo, "porta-" é uma forma do verbo "portar". Os prefixos terminados em vogal unem-se, agora sem hífen, aos termos iniciados por "r" mediante a duplicação dessa consoante.
A regra, porém, não se estende a substantivos compostos, que têm dois ou mais radicais. Assim, "porta-retrato" continua com hífen, como a maioria dos demais compostos iniciados por verbo ("porta-bandeira", "abre-alas", "lança-perfume", "arranca-rabo", "arrasta-pé" etc).

“VIDE” E “VEDE”

"Vide. Essa expressão é usada amiúde, como imperativo do verbo ver. Ex.: Vide rodapé; vide página 13 etc. Pergunto se o correto não seria ‘vede’ e em que hipótese devemos usar o ‘vide’ acertadamente."

Usa-se vide quando se quer remeter alguém a outro livro, capítulo, página, trecho. Abrevia-se v. ou V.  – inicial maiúscula quando no início da frase.

Vede é o imperativo do verbo ver, que se refere a "vós", pronome raramente usado no Brasil, motivo por que ganha preferência a forma latina "vide", que se traduz por veja ou até mesmo pelo infinitivo, por exemplo: ver  pág. 10. Ver referência no final do capítulo.

sábado, 15 de março de 2014

COMO É O AMOR DE AMAR…

 

 

amar de verdade

 

   É sentir, repentinamente, os lábios falarem do amor para si como uma necessidade.

   É os dois, ao olharem para o futuro, fitarem na mesma direção.

   É uma parte sua viver com a outra, e a outra com uma parte sua...

   É deixar brotar o sentimento como água pura e cristalina.

   É um realizar para o outro o mundo que sonha para si.

   É oferecer o manto do sorriso para aliviar alguma dor ou tristeza.

   É construir um castelo no céu com cimento de nuvens e tijolos de estrelas.

   E exultar-se de contentamento ao imaginar o ser amado na sua imaginação.

   É desejar ter nos ouvidos a sua voz como uma oração.

   É nunca desejar outro ser por o seu ser estar pleno de Amor.

   É jamais oscilar diante do pêndulo das dificuldades.

   É revestir-se de Amor, tanto no dar quanto no receber.

   É ser feliz fazendo o outro ser feliz.

   É nunca dizer Não quando pode dizer Sim.

   É sentir a presença na saudade da ausência.

   É completar-se no outro sem ser o outro.

   É debruçar-se sobre si e sentir a felicidade de viver a dois.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Alma gêmea de minh’alma

 

 

mapa-do-amor1

Alma gêmea de minh’alma...
energia que enche de esperança a minha vida....
Fonte onde posso alimentar a sede
dos sonhos, nostalgias e magias.
Eu estava a partir para outro espaço,
na busca de um eu para o meu caminho.
Mas, inesperadamente, chegaste devagarinho,
E encheste-me o coração outra vez.
Será agora para o SEMPRE?

Alma gêmea de minh’alma...
Se me queres tão intensamente, tece-me de felicidade,
abraça-me com sinceridade e diz-me a palavra mágica:

I love you!!!

I Love you...

I Love you...

Tantas e tantas vezes,

Assim a provar o mel que nasce da boca.

Alma gêmea de minh’alma,
Se eu te perder outra vez,
serei de ti a eterna saudade,
a lembrança que não se apaga jamais,

A dor mais doída,

A ferida que não cicatriza.

Alma gêmea de minh’alma,
Se um dia novamente me deixares,
entre as curvas dos caminhos,
haverás de mergulhar entre espinhos,

Porque as flores não mais verás.

Os teus olhos se fecharão na luz,

E eu permanecerei nos dias teus

Sendo a tua claridade no Céu.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

O QUÊ É A VERDADE?

 

 

                                                            verdade3                                                                                                                                                                                                                

Nós educadores, professores, pesquisadores, lidamos, cotidianamente, com pessoas das mais diversas naturezas, crenças, sonhos, religiões, olhares sobre a vida. E o que a gente percebe, mesmo em família, é que cada ser humano possui seu mundo e nesse mundo estão as suas verdades. Por isso este texto de hoje, uma reflexão sobre os conceitos, as visões daquilo que se chama “VERDADE”.

Entende-se, à luz do humanismo, que a busca pela verdade passa necessariamente pelo combate contra o dogmatismo, a crença de que o mundo é tal como observado e percebido inicialmente, sem possibilidade de contestação. Essa atitude dogmática é conservadora, evita novidades e modificações, enraizando-se em crenças e opiniões, o que conduz, muitas vezes, ao fanatismo ou erro. Todavia, assim como o mundo muda, avança, também as pessoas, com seus saberes, crenças, opiniões, leituras da vida e do mundo. Esse mundo é um mundo povoado por pessoas, cada uma diferente da outra. Uma gosta do azul, como o Rei Roberto Carlos; outras não gostam do azul, preferem o branco, o vermelho etc. O fato, acredita-se, que assim como mudam os olhares sobre a vida, igualmente os seres humanos possuem valores e crenças sobre aquilo que tomam por “verdade”.

Se as pessoa tivessem pensamentos iguais, sentimentos iguais, olhares semelhantes sobre a vida e o modo de estar nela, o mundo viveria sem conflitos. Acontece, porém, que o ser humano carrega consigo um mundo que é unicamente seu. Logicamente nesse mundo particular os conceitos pessoais mudam. E essa mudança acontece pela própria natureza das pessoas que são diferentes umas das outras.

Pois bem, tomando por base a reflexão sobre aquilo que se chama “VERDADE”, busca-se, na Filosofia, orientações capazes de nortear ou aclarar essa percepção que cada ser possui sobre aquilo que se chama “Verdade”. Não é um texto científico, mas uma breve análise sobre temática tão fascinante e que, certamente, trará luz aos nossos próprios conceitos e convicções.

No correr de 25 séculos de conversação filosófica, o grande leitmotiv, o objeto das preocupações dos filósofos tem sido a "Verdade". E, por essa razão o tema da "Verdade" tem sido o cerne de muitas indagações, em todos os tempos, de tal modo que se poderia assentir, peremptoriamente, que a definição do que vem a ser a categoria “Verdade" é polissêmica e assume múltiplas funções semânticas, sintáticas e pragmáticas. Afinal, o que é a Verdade?

Platão inaugura seu pensamento sobre a verdade afirmando: “Verdadeiro é o discurso que diz as coisas como são; falso aquele que as diz como não são”. É a partir daí que começou a se formar a problemática em torno da verdade. Para alguns a verdade é objetiva; para outros é subjetiva. E que nem sempre o que é certo para uns é também certo para os outros. Isso é subjetividade. Na objetividade a verdade aparece igual para todos, ou seja, é absoluta o tempo e em todos os lugares. O que é verdade para uma pessoa é verdade para todos. Ex: Todos precisam de ar para respirar.

No dicionário Aurélio encontra-se a seguinte definição de verdade: “Conformidade com o real”. Talvez merecesse um comentário mais amplo, a afirmação acima de Platão, mas partindo do conceito dado pelo dicionário podem-se chegar as seguintes conclusões: Não existe uma verdade cujo sujeito possa ser o seu detentor; a Filosofia chegou a distinguir cinco conceitos fundamentais da verdade: a verdade como correspondência, como revelação, como conformidade a uma regra, como coerência e como utilidade.

A verdade como correspondência - É a verdade que garante a realidade, ou seja, o objeto falado é apresentado como ele é. Aristóteles diz que: “Negar aquilo que é, e afirmar aquilo que não é, é falso, enquanto afirmar o que é e negar o que não é, é verdade”. Essa definição de verdade é a mais antiga e divulgada.

A verdade como revelação - Trata-se de uma verdade que sob a luz empirista se revelou ao ser humano por meio das sensações, e sob a perspectiva metafísica ou teológica mostrou o verdadeiro por meio de um Ser supremo, Deus, que evidencia a essência das coisas.
A verdade como conformidade – É uma verdade que se adapta a uma regra ou um conceito. E esta noção de conformidade foi usada pela primeira vez por Platão: “... tudo o que me parece de acordo com este, considero verdadeiro,...” e retornando a história, Santo Agostinho afirma: “existe, sobre a nossa mente, uma lei que se chama verdade”. Em suma, a verdade, no sentido da conformidade, deve-se adequar a uma regra ou conceito. Acredita-se que os conceitos mudam de uma pessoa para outra, isso porque o modo de sentir, ler o mundo, os costumes, as práticas sociais, não estão no mesmo nível para todos os seres humanos.

A verdade como coerência - Essa ideia de coerência foi difundida pelo filósofo Bradley. Ele critica o mundo da experiência humana partindo da ideia de que “o princípio de que o que é contraditório, não pode ser real”, isso o fez aceitar que “a verdade é coerência perfeita”.

A verdade como utilidade – Formulada, primeiramente, por Nietzsche: “Verdadeiro não significa em geral senão o que é apto à conservação da humanidade. O que me deixa sem vida quando acredito nele não é a verdade para mim, é uma relação arbitrária e ilegítima do meu ser com as coisas externas”.

A preocupação que se tem é que a verdade, como utilidade, seja algo que faça bem a toda a humanidade. O que não é de práxis para a conservação do bem, pode-se dizer que é verdade?
Toda essa investigação sobre a verdade limita muito esse tema. A verdade possui inúmeros significados, dependendo da pessoa que a defina. Ela continuará sendo uma das questões mais abordadas nestes últimos tempos.

Descortina-se, então, que a ideia contemporânea de verdade foi construída ao longo de séculos, desde a antiguidade, misturando a concepção grega, latina e hebraica. Em grego, a verdade (aletheia) significa aquilo que não está oculto, o não escondido, manifestando-se aos olhos e ao espírito, tal como é, ficando evidente à razão. Em latim, a verdade (veritas) é aquilo que pode ser demonstrado com precisão, referindo-se ao rigor e a exatidão. Assim, a verdade depende da veracidade, da memória e dos detalhes. Em hebraico, a verdade (emunah) significa confiança, é a esperança de que aquilo que é será revelado, irá aparecer por intervenção divina. Em outras palavras, a verdade é convencionada pelo grupo que possui crenças em comum.

A união destes conceitos fez com que Tomás de Aquino terminasse definindo a verdade como expressão da realidade, a concepção em voga entre nós no senso comum até hoje. Mas o grande problema é que a verdade não possui um significado único, tampouco estático e definitivo, sendo influenciada por inúmeros fatores.

Destarte, a construção de um sistema filosófico configura uma verdade dogmática que se contrapõem a outras verdades dogmáticas. Neste sentido, em filosofia existem várias verdades, todas possíveis desde que exista a ausência de contradições, já que somente elementos que se anulam mutuamente poderiam invalidar a verdade.

Ao final da reflexão, indaga-se sobre o que libertará o ser humano dessa prisão do que seja a verdade? A resposta é mergulhar, profundamente, sobre aquilo que nos é apresentado. Fugir do senso comum e criar opiniões próprias. A verdade depende do modo como cada pessoa encara o mundo.

DICAS DE GRAMÁTICA

TEM ou TÊM ou TEEM?  VEM ou VÊM ou VEEM ou VÊEM?

- Se você costuma ter esse tipo de dúvida ou já perdeu seu tempo com esse problema, observe o esquema abaixo:

- Grupo do CRÊ-DÊ-LÊ-VÊ:
Os verbos CRER, DAR, LER e VER são os únicos que na 3ª pessoa do plural terminam em –EEM. Não esqueça que perderam o acento circunflexo, segundo o acordo ortográfico dos países de língua portuguesa:
Ele crê – eles creem;
Ele dê – eles deem (=presente do subjuntivo);
Ele lê – eles leem;
Ele vê – eles veem.
Essa regra também vale para os verbos derivados:
Ele relê – eles releem;
Ele prevê – eles preveem.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

OS BENS MODELARES DE UMA PESSOA DIANTE DA VIDA

 

alegria

 

Há certa altura da vida senti necessidade de tomar difíceis decisões comigo mesma. Então, naquela ocasião eu me perguntei: “ Essa decisão deve vir da razão ou do coração”? Após refletir bastante, tomei a decisão mais alinhada naquilo que pedia o coração. Os resultados não foram aqueles esperados, mas não por culpa minha, muitos outros corações entraram em ação e não souberam negociar comigo. Senti-me derrotada, mas depois senti que havia agido com correção. Por isso mesmo ainda hoje estou tranquila e confiante que o coração não engana e não mente. E embora haja corações egoístas, malabaristas, o meu será, sempre, um coração puro e pleno de amor.

Então, refletindo sobre esse fato passado, as ações presentes e as perspectivas do futuro eu vejo três palavras que embora sejam semelhantes, definem 3 valores humanos que julgo de extrema importância. Delas trata o texto de hoje.

Sob o aspecto conceitual esses valores – VERDADE, SINCERIDADE E HONESTIDADE – são muito diferentes, e cada pessoa possui um referencial e uma profundidade específica para analisá-los. Aqui, faço uma reflexão das nuances de cada uma dessas palavras (ou valores humanos). Para mim são esteios da vida.

VERDADE – Como descrevê-la? É um valor individual que está relacionado à percepção que cada pessoa tem em relação às coisas ou fatos da vida. As experiências vividas, a percepção de mundo, as características de personalidade fazem com que cada um modele a “própria verdade”, sobre um determinado assunto e olhar sobre a vida. Por isso mesmo a verdade parece ser algo individual… E um exemplo claro dessa assertiva é este texto, que traduz “ a minha verdade” sobre este valor humano. Assim, o leitor poderá concordar ou discordar, afinal cada um tem a própria verdade e não há como não perceber isso. Mesmo assim ela deverá ser permeada pela boa lógica da vida.

SINCERIDADE - A“sinceridade” é tratada pelo modelo de classificação de valores humanos como um “valor social”. Se uma pessoa é sincera não necessariamente está sendo ética ou utilizando a consciência sistêmica coletiva. A sinceridade é pessoal, porém afeta o coletivo, positivamente ou negativamente. Tudo depende do contexto e da intenção do agente.

Ser sincero requer coragem e integridade. Muitas vezes ser sincero pode ferir a imagem que as pessoas criam umas das outras. Em outras ocasiões ser sincero fere regras sociais e de convivências. E, às vezes, ser sincero pode ofender ou desapontar pessoas de um modo geral, em função das expectativas que os seres humanos são mestres em criar em relação aos outros.

E a falta de sinceridade? O que ela pode causar nas relações? Em um mundo aberto, onde nossas vidas estão expostas e escancaradas de variadas maneiras – redes sociais, Google, meios de comunicação, informações fiscais, CPF, não é mais possível manter a máscara da falsidade por muito tempo. Está tudo muito exposto, aberto. As verdades afloram. Então, ser sincero é um requisito fundamental à paz e à integridade das pessoas. Por isso, talvez, o adágio popular: “Não faça aos outros aquilo que não quer que lhe façam”.

Ser sincero hoje não é mais uma opção. É obrigação. Neste caso eu não posso ofertar, no texto, escolhas. Não há opções a apresentar para configurar o valor de “verdade”, que poderiam ser algo como concordar parcialmente ou discordar. Sinceridade é um atributo que deve ser incorporado aos gens de todos os seres humanos. Isso porque no mundo atual não há mais espaço para sobreviver muito tempo a base de mentiras, falsidades. Isso faz da vida algo insuportável quando é preciso lidar com pessoas desonestas, mascaradas, arrogantes, falsas, que jogam com os outros como se fossem brinquedos. A alma humana é um tesouro que todos devem respeitar.

HONESTIDADE - E Honestidade, como classificá-la? Pergunto: Você, leitor é honesto?  Sim (   ) – Não (   ) – Às vezes (   ). Depois, mais uma pergunta: Alguém gosta de ser classificado como desonesto? Eu penso que não. Honestidade é algo mais intrínseco, profundo, está ligado ao caráter, ao conjunto de valores e crenças que se adquire ao longo da vida.

Mas voltando ao valor elevado “Honestidade”, diz-se que ser honesto requer incorporar a verdade pessoal e analisar as atitudes e tomadas de decisões para ver se podem ser melhoradas/aperfeiçoadas. Requer ser sincero nas atitudes; congruente nos pensamentos, sentimentos e ações; e assumir atitudes honestas diante da vida, das pessoas. Ser honesto é estar conectado com algo maior, tais como: o senso ético; o valor de justiça; o senso de humanidade; o respeito e o amor pelas pessoas.

Por fim, eu acredito que ser honesto requer pensar e atuar de forma a gerar melhorias e igualdade no meio que nos abraça. Ser honesto é colocar-se à disposição das necessidades individuais, mas, sobretudo, à disposição das necessidades que fazem de nós seres humanos. E, nesse aspecto, deve-se, sempre, agir da melhor forma. A vida é única e ser bom, correto, honesto, leal, não requer malabarismos ou metáforas. É a vida dentro da própria vida.

DICAS DE GRAMÁTICA

À FOLHA 22 ou ÀS FOLHAS 22, PROFESSORA?

- Juiz acreano pede informação sobre o uso correto: "O depoimento da testemunha encontra-se à folha 22, a folhas 22, as folhas 22 ou às folhas 22 do processo?" Meritíssimo, as duas primeiras formas podem ser utilizadas.

A história dessa expressão começa com a locução adverbial "a folhas tantas", que quer dizer "a certa altura, em dado momento". O autor do livro "Locuções adverbiais" (Curitiba: UFP, 1985) exemplifica assim: D. Maria a folhas tantas avocou o processo a si. A mulher a folhas tantas pôs-se a chorar. Daí a substituir a palavra "tantas" por um número foi um pulo. Alguém resolveu fazer assim e acabou se tornando tradição na área jurídica.

Transcrevo observação do gramático Napoleão Mendes de Almeida: "Na linguagem forense se diz a folhas vinte e duas – significa “a vinte e duas folhas do início do trabalho” como quem diz “a vinte e duas braças”. O mesmo se diga de"a páginas vinte e duas".

O usual, nos processos, é escrever abreviado:

  • a fls. 20 / a fls. 11 e 12 / a fls. 1 a 5 [nestes casos também se usa de fls. x]

Mas nada impede que se adote a expressão de acordo com as normas gramaticais, distinguindo-se então o singular à [para uma só folha] do plural às [várias folhas]:

  • O depoimento se encontra à fl. 3 do processo.

· Citado às fls. 3 a 9 ou às fls. 11 e 12 do processo.

A propósito, vale notar que é equívoco usar a expressão "a fls." ou "de fls." (assim sem o n°) como equivalente ou substituto para "conforme peça juntada aos autos / na petição inicial/ nos autos" ou similar. Por exemplo, em vez de dizer Condeno o réu a entregar o imóvel descrito a fls. ao reivindicante, diga Condeno o réu a entregar o imóvel descrito na petição ao reivindicante.

------------------------

Luísa Galvão Lessa – É Pós-Doutora em Lexicologia e Lexicografia pela Université de Montréal, Canadá; Doutora em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ; Membro da Academia Brasileira de Filologia: Membro da Academia Acreana de Letras; Pesquisadora Sênior - CAPES

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

POR QUE AS PALAVRAS MUDAM DE SENTIDO NO CORRER DO TEMPO?

 

palavras não voltam

No seu percurso histórico, as palavras adquirem novos sentidos e estabelecem novas relações semânticas umas com as outras. Às vezes, o sentido tanto se altera que pode partir, por exemplo, de um valor axiológico positivo para um valor axiológico negativo, ou vice-versa, e as conotações de caráter puramente periférico passam a ser nucleares.

Nosso objetivo neste trabalho é mostrar que as mudanças semânticas não afetam apenas diacronicamente os itens lexicais. Os fenômenos referidos acontecem também na sincronia. Vale ressaltar, como Bréal (1992), que, em determinados contextos, vale a restrição ou a ampliação de sentidos.

As alterações semânticas decorrem de múltiplos fatores, estudados exaustivamente por Bréal (1992), como a restrição e a ampliação de sentido, a metáfora, o espessamento de sentido, a polissemia. Bréal recusava-se a apresentar a analogia como uma causa e muito menos como uma força cega. Em consonância com Bréal, muito bem pondera Faraco (1992, p. 45), ao afirmar que,

[...] nenhuma mudança é por si só necessária: ela encontra seu caldo de possibilidade na pluralidade de formas linguísticas existentes no social e vai ocorrer ou não na dependência de um intricado (e ainda pouco esclarecido) processo de preferências sociais contingentes.

Vejam-se, nesse breve texto, a ampliação ou mudança de sentido de três palavras: Destino, Fortuna e Sina. São três palavras que evoluíram de sentido no curso do tempo. É claro que existem outras tantas, mas, aqui, abordam-se essas três para mostrar como as palavras evoluem e mudam de sentido. Isso é um fenômeno semântico que acontece em todas as línguas faladas.

A palavra “destino” deriva do verbo destinare. Contém dois elementos: ‘de’, que significa movimento a partir de um certo ponto, stinare, que significa ‘fixar’. Destinare significa partir de um ponto fixo, da raiz stano ‘resistir’. O significado original tem o traço de volitividade: ‘prender’, ‘segurar’, ‘firmar’, ‘estar fixado’. Já se delineava, através do último sentido, aquele que viria a ser o significado em vernáculo. ‘Destinar’ é um curso a partir de um ponto. Na linguagem do arco e flecha, ‘destinar’ significava ‘fazer pontaria’ e ‘destino’ se referia ao alvo. Portanto, ‘destino’ primeiro significou ‘meta’ e depois se transformou em ‘fado’, ou seja, uma força imutável que determina o que sucederá no futuro.

Como se nota, através de contínuas migrações de meio social e uso, o significado original, por metáfora, passou a significar ‘sucessão de fatos que podem ou não ocorrer’, como nesses exemplos: (... ) mas se o ‘destino’ insistir em nos separar/danem-se os astros, os autos, os signos, os dogmas (Chico Buarque, Dueto). A gente quer ter voz ativa/no nosso ‘destino’ mandar/mas eis que chega a roda viva/e carrega o ‘destino’ pra lá (Chico Buarque, Roda Vida). (39) nunca acreditei na ilusão de ter você pra mim/Me atormenta a previsão do nosso ‘destino’ (Los Hermanos, Anna Júlia).

A palavra“fortuna”, na origem, designava a ‘sorte (boa ou má)’. Aurélio registra diversas acepções de ‘fortuna’: ‘casualidade, destino, ventura’. No entanto, se especializou com conotação axiológica positiva, como provam os derivados. Segundo Faria (1994), especializou-se como ‘boa sorte’ ainda em latim, nas cartas de Cícero e daí, no plural, significava ‘dons da fortuna, riqueza’. Tem-se, na literatura, os exemplos: Com aqueles simples conhecimentos - ler, escrever e contar - entrou na vida, e não foram necessários outros para que lhe sorrisse a ‘fortuna’ (Artur Azevedo, Na Horta); Disseram que está no Norte/Toda ‘fortuna’ e sorte/que o mundo tem a oferecer/Para acabar de uma vez/com toda minha pobreza (Kid Abelha, Cantar em Inglês). Mesmo nos derivados ‘infortúnio’ e ‘afortunado’, a raiz ‘fortuna’ tem conotação positiva. São exemplos: Foram meses de ‘infortúnio’/Desse mal quase faleço (Beth Carvalho, Novo Endereço); Não faltavam ao soldado feitos que lhe aumentassem o prestígio de pessoa bem conformada, sem vícios que lhe dessem o realce de um ‘afortunado’ (Domingos Olympio, Luzia Homem); Com seu nariz furando o vento/Com um certo ar de autoridade/Eu fico louco, louco de saudade/Sou um cara ‘afortunado’/perto de ti eu sou um poço de sensibilidade (Ira! Poço de Sensibilidade).

A palavra ‘Sina’, cujo sentido original era ‘sinais’, advém do léxico do Zodíaco. Deriva de um plural signa relacionado ao singular signum. Etimologicamente, ‘signa’ é uma marca: vem do indo-europeu secnos,ligado a secare ‘cortar, distinguir’. Para Houaiss (2001), significa: “fatalidade a que supostamente tudo no mundo está sujeito; destino, sorte, fado”. É esse o sentido no trecho das músicas: “mas como todos têm a sua ‘sina’ um a morte não levou (Milionário e José Rico, Sonhos de umcaminheiro); ser poeta, cantador, vaqueiro, aboiador é a ‘sina’ do sertanejo (Flávio José, Sina do Sertanejo); e lembro dela ainda uma menina/subiu pra mente, ela virou minha ‘sina’ (Charlie Brown, Sino Dourado).Registre-se, ainda, um composto ‘malsinado’ em que figura o valor não marcado de ‘sina’, apesar de o composto ser negativamente marcado.

Percebe-se, nesse breve texto, que a inteligência humana possui uma capacidade indescritível para criar, substituir, alterar, transformar sentido de palavras, mesmo sem conhecer a origem delas. Assim, as mudanças na linguagem são instrumentos de civilização e tais mudanças se devem à mediação da vontade das pessoas em relação à vida, ao mundo, aos objetos.

DICAS DE GRAMÁTICA

BEM-VINDA E BENVINDA?

- Certamente que a dona Benvinda será sempre bem-vinda. Sabe por quê? Ora, porque “bem-vinda”, expressão grafada sempre com hífen, mesmo depois do Acordo Ortográfico, é uma palavra formada por justaposição, cujo sentido se atém a “bem acolhido (a)”. Já “Benvinda ou Benvindo”, além de representar um substantivo próprio, é também uma palavra formada por aglutinação.     

A SUJEIRA IMPRÉGNA OU IMPREGUÍNA?

- Um aspecto a que devemos nos ater é que o “g”, presente na palavra em questão, é mudo (sem som fonético). Assim sendo, em decorrência desse notável aspecto, a forma correta de pronunciá-la é impregna. (A presença do acento se deve somente para uma melhor identificação da tonicidade).

HISTÓRIA OU ESTÓRIA?

- “História” se refere a acontecimentos reais, baseados em documentos ou testemunhos. Enquanto que “estória” diz respeito a narrativas imaginárias, contos, lendas, fábulas, entre outras.
Contudo, apesar de tais diferenças, percebe-se que a forma com a qual comumente nos deparamos é “história”, relativa aos dois casos. Portanto, nada que desabone o uso desta com o sentido de contos, lendas

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

RENOVAR-SE É REVITALIZAR A VIDA

 

água

 

Luisa Galvão Lessa colunaletras@yahoo.com.br

E assim como no dicionário, acredita-se que renovar é trazer para si novas expectativas, novas visões, preencher com o novo as lacunas que estão abertas nas nossas vidas ou que estão deixando a desejar.  Sabe-se que a atitude de renovar algo que não está dando muito certo em nossas vidas é algo que somente a própria pessoa pode fazer, com coragem, determinação, sinceridade, persistência.

Quando alguém decide renovar sua vida, seja lá por qual motivo for, aparece uma força interior que impulsiona e mostra o caminho a seguir. Essa é a essência da renovação agindo sobre a pessoa que deseja mudar, melhorar em tudo. É necessário ter vontade, ativar as energias, trazer os sonhos para a realidade, renovar ideias, planos, projetos, desejos, moldar o pensamento para as novas metas.

Renovar-se é uma espécie de magia, surge na mente e a pessoa tem que abraçar-se a ela, contagiar-se pelo espírito de mudanças, das ideias novas dos caminhos a seguir. Esse rico manancial do mundo das ideias é infinito nas suas possibilidades. É suficiente a pessoa estar em sintonia para essa força essencial que todos têm na vida. Para uns adormecida, para outros que brota de modo inesperado, por uma razão qualquer. Importante é sentir e agir!

Assim, quando nos questionamos sobre nossas vivências, é possível perceber se estamos vivendo nossas experiências de maneira favorável, se estamos evoluindo nas direções esperadas, desenvolvendo nossas capacidades e gerando situações positivas para a efetivação das almejadas conquistas, ou se ainda estamos parados girando em falso, percebendo que não se está indo a lugar nenhum. E, se for assim, é hora de reconhecer e permitir que o fluxo da essência da renovação se manifeste dentro de nós. E se a pessoa ainda não foi tocado pela essência da renovação e das possibilidades de mudar é hora de parar, pensar, refletir sobre a vida, aquilo que tem maior valor afetivo, espiritual, emocional. É hora de se perguntar: está no caminho certo? É isso mesmo que deseja? Ninguém vai a lugar algum se não sabe aonde quer chegar, essa é uma lei universal. É preciso ter metas, dar atenção e valor às habilidades, construir, realizar, sonhar. Assim, ao usar a essência da renovação a cada momento, a pessoa despertará sempre para novas ideias que vão mover potenciais em direção aos sonhos e metas.

É fundamental movimentar a essência da vida segundo as habilidades pessoais, sempre com justiça, lealdade, pureza, visão de futuro, promovendo, desta forma, a materialização das conquistas que deverão estar de acordo com as leis universais, onde cada um pode promover a prosperidade na essência da renovação. O segredo para criar e manter uma verdadeira mudança no comportamento está em conseguir se motivar e permanecer motivado. Viver bem consigo mesmo é o princípio, meio e fim da Paz.

DICAS DE GRAMÁTICA

À TOA OU À-TOA?

É preciso entender o que antes vigorava e o que agora impera, tendo em vista as mudanças oriundas do Novo Acordo Ortográfico. Veja, pois, a explicação: À toa, denotando o sentido referente “ao acaso”, “a esmo”, “sem fazer nada”, antes já era e depois da nova reforma continua sendo grafada sem o uso do hífen, haja vista que representa uma locução adverbial de modo. Vejamos o exemplo:

Passava à toa todas as manhãs olhando para o teto.

Atestamos que indica um fator circunstancial ora relativo ao verbo passar (passava).
À-toa, antes grafado com hífen e agora descrito sem ele (à toa), refere-se a um adjetivo, cujo sentido se demarca por “inútil”, “desocupado”, “insignificante”. Observa-se o exemplo a seguir:

Não passava de um à toa, pois não demonstrava nenhum interesse em crescer, tanto pessoal como profissionalmente falando.

===============

Luísa Galvão Lessa – Pós-Doutora em Lexicologia e Lexicografia pela Université de Montréal, Canadá; Doutora em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ; Membro da Academia Brasileira de Filologia; Membro da Academia Acreana de Letras; Pesquisadora PVNS – CAPES.

sábado, 28 de dezembro de 2013

A LETRA INICIAL DO NOSSO NOME ESTÁ LIGADA AO CARATER E AO DESTINO?



Há, em meio a humanidade, a crença na força do nome no destino e na formação da personalidade das pessoas. Nós, humanos, temos muitas crenças, tabus, misticismos. E quando um novo ano está para nascer, nossas inquietações aumentam. Pensamos: como será o 2014? Então, este texto, colhido na Internet, vai ajudar a tirar alguma dúvidas ou a colocar outras nas nossas cabeças. Vejamos o significado das letras de nossos nomes. É curioso e intrigante esse estudo porque a letra inicial do nome da pessoa, segundo estudiosos, resume o alicerce de cada um de nós. Vamos, então, ao significado das letras. Boa sorte!
Cada letra tem um som e cada som transmite uma energia que influencia a personalidade da pessoa. A primeira letra do nome é conhecida como “pedra fundamental” ou “alicerce”. É a base sobre a qual o homem é formado, a primeira pedra do seu edifício e sobre ela os primeiros anos de sua vida são construídos, assim como o restante de sua vida e sua personalidade. A pedra fundamental diz respeito às suas aptidões, às suas reações diante de diferentes experiências. Essa letra é um elemento fundamental e bastante útil na análise numerológica. O alicerce exerce influência mais forte no plano material e é ele quem dá força ao Destino de uma pessoa.
Vejam, a seguir, os significados da letra inicial (alicerce) do seu nome
· LETRAS AJS - ALICERCE =1
· LETRAS BKT – ALICERCE =2
· LETRAS CLU – ALICERCE =3
· LETRAS DMV –ALICERCE =4
· LETRAS ENW –ALICERCE =5
· LETRAS FOX – ALICERCE =6
· LETRAS GPY – ALICERCE =7
· LETRAS HQZ –ALICERCE =8
· LETRAS IR – ALICERCE =9
Letra Inicial A
Corresponde ao alicerce número 1 - Mostra que você tem uma personalidade ativa e decidida, que é uma pessoa cheia de energia, sempre pronta a se lançar em alguma aventura. Uma vida sem desafios, para você, não tem a menor graça. E como também é um líder nato acaba arrastando os outros com o seu entusiasmo. Deve tomar cuidado para não se tornar um(a) cabeça dura. O seu alicerce indica que você foi construído sobre as qualidades de individualidade, independência, criatividade, progressividade, liderança, invenção, estimulação, vontade firme, determinação, originalidade e coragem. Você pode tender a ser teimoso, egoísta e autoritário, se não for cuidadoso.
Letra Inicial B
Corresponde ao alicerce número 2 - Você é do tipo que sabe o que quer, e sempre chega lá. Embora viva em busca de prazeres, é muito preocupado com a segurança financeira. Tem hábitos enraizados, uma memória excelente e adora dividir suas experiências com alguém, de preferência com seu amor. Seu aprendizado é lento, mas profundo: depois que aprendeu nunca mais esquece. Pode ser teimoso e ciumento. O seu alicerce indica que você tem uma natureza amorosa e cooperativa. Você é um seguidor, diplomático, generoso, agradável, receptivo, analítico, paciente, amigável, atencioso, sensível, estudioso e emocional. Você pode ser também supersensível, emotivo em excesso, envergonhado e inclinado ao mal-humor e ao enfado, a menos que você se controle.
Letra Inicial C
Corresponde ao alicerce número 3 – Indica que você é criativo, amável e expressivo, além de ser uma pessoa cheia de charme e com uma dose incrível de curiosidade. Tem dificuldade em se concentrar no que está fazendo e não consegue guardar suas idéias só para você: precisa compartilhar tudo com os outros. Adora festas e está sempre de bom astral. O único perigo é exagerar a dose e se tornar nervoso, inquieto e fofoqueiro. Mesmo porque você adora "enfeitar" a realidade. Seu alicerce é o da felicidade, do riso, imaginação, trabalho artístico, charme, amor, amizade, intelecto, despreocupação, sentimentalismo e auto-expressão. Há inclinação, no entanto, para ser crítico, ciumento, lamuriento, convencido, superficial, indeciso e intolerante. Você deve se proteger contra isso.
Letra Inicial D
Corresponde ao alicerce número 4 – Indica que você é atencioso, ligado à família e com um senso maternal enorme. Gosta de se sentir útil e necessário e costuma assumir mais responsabilidades do que pode. Sua palavra é uma só e dificilmente você volta atrás. Muito ocupado, está sempre fazendo alguma coisa e dificilmente tem uma hora livre para o lazer. O perigo é se tornar dependente e infantil demais, "sempre pendurado nos outros". Seu alicerce está fundado nas qualidades da paciência, confiança, persistência, organização, lógica, devoção e na facilidade para a concentração. De natureza prática, você é um trabalhador, um construtor, que gosta da rotina e do sistema. Você pode ser recalcado, melancólico, se auto punir, ser rude, inflexível, a menos que seja cauteloso.
Letra Inicial E
Corresponde ao alicerce número 5 – Indica que você é inteligente e comunicativo e tem uma necessidade incrível de falar, mas nem sempre diz tudo o que se passa pela sua cabeça. Movido pela razão, só fica bravo quando é desmentido ou contrariado. E como pensa muito, também tem dificuldade de se concentrar no que está fazendo. Poderia se tornar um ótimo escritor, advogado ou professor. Mas precisa controlar seu nervosismo e tomar cuidado para não virar um tagarela. Seu alicerce está edificado sobre um desejo de mudança e variedade, com as qualidades de curiosidade, audácia, compreensão, além de um caráter progressivo. É bom julgador, persuasivo e gosta de liberdade. Você pode ainda ser irresponsável, imprudente, inconstante e protelador, se não for cuidadoso.
Letra Inicial F
Corresponde ao alicerce número 6 –Indica que você é romântico, divertido e cheio de amor para dar. Deseja que todos gostem de você, e para isso não economiza gentileza e simpatia. Adora ser o centro das atenções e, da vida, quer apenas o melhor: dinheiro, poder, sucesso... Mas basta aparecer uma criança que seu coração derrete. Quanto ao lado negativo, você tem um certo ar de mandão e pode se tornar muito egoísta se continuar se preocupando tanto com as coisas e com você. Afinal ninguém tem obrigação de ser perfeito. O seu alicerce é o da responsabilidade, devoção, firmeza, harmonia e equilíbrio, compreensão, simpatia, justiça, caráter doméstico, amor, serviço e habilidade de aconselhar. Você tende também a impor os seus princípios, a ser preocupado em excesso, intrometido, convencido, ciumento, a menos que se contenha.
Letra Inicial G
Corresponde ao alicerce número 7 – Indica que você é sério e honesto no trabalho, e busca a perfeição em tudo o que faz, aborrecendo-se quando as coisas não saem como queria. Pensa muito antes de agir, mas quando decide é capaz de mergulhar de cabeça no que está fazendo e esquecer da vida. Assuntos ligados a saúde são os seus preferidos, e poderia muito bem trabalhar nessa área. Cuidado com a impaciência, que pode levá-lo a um estresse facilmente. O seu alicerce é construído sobre análise mental, introspecção, perseverança, espiritualidade, estabilidade, qualidade, intuição, perfeição, fé, sensibilidade, discrição, necessidade de estar só e aversão a confusões. Você é ainda propenso a ser melancólico, crítico, reservado, sarcástico e repressivo, se não se acautelar.
Letra Inicial H
Corresponde ao alicerce número 8 – Indica que você é bastante ligado em dinheiro e posição, e sua personalidade cresce quando você se vê diante de um desafio. "Vem quem tem" poderia ser perfeitamente seu lema na vida. E você não fica dias buscando soluções para os problemas: resolve tudo num segundo. Isso, sem dúvida, faz de você uma pessoa meio solitária, pouco chegada a brincadeiras e um tanto quanto distante e severa. Será que toda essa eficiência não esconde uma certa insegurança? O seu alicerce traz qualidades como eficiência, liderança, prática, julgamento, autoconfiança, inteligência, fé, poder, direção e controle, determinação e atitude comercial. Se não for cuidadoso, pode ser exageradamente materialista, descuidado, intrigante, valentão, além de reclamar atenção.
Letra Inicial I
Corresponde ao alicerce número 9 – Indica que você é carinhoso, sensual e muito fiel, e tem necessidade de demonstrar seu amor a todo instante e espera que a pessoa amada faça o mesmo. Super protetor e muito prático, está sempre disposto a resolver os problemas dos amigos mais chegados. E costuma ficar bravo quando eles não aceitam sua ajuda ou seus conselhos. Outra grande preocupação sua é o dinheiro, coisa de que você gosta bastante. Cuidado para não se tornar uma pessoa muito teimosa, possessiva e dependente. O seu alicerce indica que você está fundado no amor, simpatia, piedade, generosidade, compreensão, romance, emocionalismo, talento artístico, magnetismo. É liberal, caridoso e tem uma ampla visão de tudo, você pode ser também super emotivo, não prático, volúvel, descuidado e um sonhador sem objetivos, se você não se cuidar.
Letra Inicial J
Corresponde ao alicerce número 1 – Indica que você joga de igual para igual com qualquer pessoa. Não se sente melhor nem pior que ninguém e tem uma cabeça bastante aberta. Ficar parado? Impossível! Com sua agilidade mental e física, você passa o tempo todo lendo (adora estudar), não perde uma oportunidade de viajar e tem uma paixão pela vida de dar inveja a qualquer um. Só não é legal na hora de julgar os outros ou de dizer certas "verdades" à queima-roupa, sem um pingo de diplomacia. O seu alicerce indica que você foi construído sobre as qualidades de individualidade, independência, criatividade, progressividade, liderança, invenção, estimulação, vontade firme, determinação, originalidade e coragem. Você pode tender a ser teimoso, egoísta e autoritário, se não for cuidadoso.
Letra Inicial K
Corresponde ao alicerce número 2 – Indica que você tem muito poder, é independente, decidido e tem um magnetismo invejável, mas nem por isso vive anunciando suas qualidades. Ao contrário. Gosta de ficar quieto, observando e tirando suas próprias conclusões, sem se preocupar com a opinião alheia. A sensualidade é outro de seus pontos fortes e você sabe explorá-la muito bem. Seus defeitos? Ser ciumento e possessivo. Por isso cuidado com certas manias. O seu alicerce indica que você tem uma natureza amorosa e cooperativa. Você é um seguidor, diplomático, generoso, agradável, receptivo, analítico, paciente, amigável, atencioso, sensível, estudioso e emocional. Você pode ser também supersensível, emotivo em excesso, envergonhado e inclinado ao mal-humor e ao enfado, a menos que você se controle.
Letra Inicial L
Corresponde ao alicerce número 3 – Indica que você gosta de viver consigo mesma, não é adepta de multidão, grupos. Isso não faz, definitivamente, a sua cabeça. Seu negócio é um de cada vez e quando sai com um amigo ou paquera não quer mais ninguém por perto. Nessas horas você fica totalmente à vontade e até tira de letra qualquer desentendimento que possa surgir. Agora, se há uma coisa que deixa você nervoso é ter que tomar uma decisão. Como é difícil, não? Pensa, pensa, pensa. Por isso, às vezes, você parece ser pessoa teimosa ou preguiçoso e desligada, mas não é, tem imenso senso de responsabilidade.  A reflexão é uma espécie de fuga daquilo que não concorda, pois você é pessoa generosa ao extremo, leal, conservadora, fiável, estável, persistente, corajosa, decidida. Seu alicerce é o da felicidade, do riso, da imaginação, do trabalho artístico, do charme, da família, do amor, amizade, intelecto, despreocupação, sentimentalismo e auto-expressão. Há inclinação, no entanto, para ser crítico, ciumento, convencido, por vezes indeciso e intolerante. Você deve se proteger contra isso.
Letra Inicial M
Corresponde ao alicerce número 4 – Indica que você é emotivo e muito ligado à família. Às vezes exagera nos seus cuidados e corre o risco de sufocar aqueles que ama. Tem muita energia e precisa manter as mãos e a cabeça sempre ocupadas com alguma coisa. Nas relações de amor ou de amizade, quando se machuca, você se recolhe para dentro de si mesmo e só sai depois de um pedido de perdão. Controle melhor seu temperamento e deixe as pessoas amadas mais na delas. Seu alicerce está fundado nas qualidades da paciência, confiança, persistência, organização, lógica, devoção, e na facilidade para a concentração. De natureza prática, você é um trabalhador, um construtor, que gosta da rotina e do sistema. Você pode ser recalcado,melancólico, se auto punir, rude, inflexível, a menos que seja cauteloso.
Letra Inicial N
Corresponde ao alicerce número 5 – Indica que você é criativo, dinâmico e inteligente. É um trabalhador incansável, disciplinado e sempre disposto a colaborar com os outros, sem nenhuma outra intenção a não ser a de ajudar. Prático, consegue executar tarefas cansativas e monótonas, que a maioria das pessoas detestaria encarar. Mas quando está trabalhando odeia ser interrompido. É muito crítico com você mesmo e com os outros. Seu alicerce está edificado sobre um desejo de mudança e variedade, com as qualidades de curiosidade, audácia, compreensão, além de um caráter progressivo. É bom julgador,persuasivo e gosta de liberdade. Você pode ainda ser irresponsável, imprudente, inconstante e protelador, se não for cuidadoso.
Letra Inicial O
Corresponde ao alicerce número 6 – Indica que você adora ficar em casa, rodeado pela família, onde se sente um rei. Assume qualquer responsabilidade, resolve todos os problemas, se emociona com todas as situações. Mas se alguém o magoar é capaz de ficar dias em silêncio, curtindo sua mágoa. Você não é vingativo, mas é possível que passe anos sem falar com a pessoa que o ofendeu. Cuidado com a tendência a manipulação. O seu alicerce é o da responsabilidade, devoção, firmeza, harmonia e equilíbrio, compreensão, simpatia, justiça, caráter doméstico, amor, serviço e habilidade de aconselhar. Você tende também a impor os seus princípios, a ser preocupado em excesso, intrometido, convencido, ciumento, a menos que se contenha.
Letra Inicial P
Corresponde ao alicerce número 7 – Indica que você busca a paz a qualquer preço, nem que seja... brigando! E nem de longe imagina viver ao lado de pessoas que se relacionam à base de tapas e berros, sejam elas sua mãe, seu pai ou o grande amor da sua vida. Além de paz, seu coração precisa muito de amor. E você está sempre namorando. Mas que ninguém tente prendê-lo ou proibi-lo disso ou daquilo, porque aí é adeus na certa. Tome cuidado para não julgar e criticar os outros. O seu alicerce é construído sobre análise mental, introspecção, perseverança, espiritualidade, estabilidade, qualidade, intuição, perfeição, fé, sensibilidade, discrição, necessidade de estar só, e aversão a confusões. Você é ainda propenso a ser melancólico, crítico, reservado, sarcástico e repressivo, se não se acautelar.
Letra Inicial Q
Corresponde ao alicerce número 8 – Indica que você tem um bom coração e está sempre disposta a ajudar os menos favorecidos. Vive tentando encontrar soluções para os problemas que afligem a humanidade e sabe direitinho como agir quando está interessado em alguma coisa, pois costuma correr atrás do que quer. Em geral é movido pela intuição, que em você é muito forte. O difícil é manter os dois pés no chão e fazer uma coisa de cada vez, já que está sempre envolvido com mil planos. O seu alicerce traz qualidades como eficiência, liderança, prática, julgamento, autoconfiança, inteligência, fé, poder, direção e controle, determinação e atitude comercial. Se não for cuidadoso, pode ser exageradamente materialista, descuidado, intrigante, valentão, além de reclamar atenção.
Letra Inicial R
Corresponde ao alicerce número 9 – Indica que quando se trata de resolver os problemas dos outros, você pensa e age como se fosse a pessoa mais sábia do mundo. Quando o problema é seu, fica totalmente confuso. Isso acontece porque gostaria de decidir as coisas sempre com a cabeça fria. Mas como o coração tem mania de se intrometer nas nossas dúvidas, fica difícil mesmo decidir. Controle sua ansiedade e não tenha medo de errar! Essa é uma boa maneira de aprender. O seu alicerce indica que você está fundado no amor, simpatia, piedade, generosidade, compreensão, romance, emoção, talento artístico, magnetismo. É liberal, caridoso e tem uma ampla visão de tudo, você pode ser também super emotivo, não prático, volúvel, descuidado e um sonhador sem objetivos, se você não se cuidar.
Letra Inicial S
Corresponde ao alicerce número 1 – Indica que você é sabe perfeitamente o que quer da vida e sempre consegue chegar lá. Tem a maior habilidade para envolver as pessoas que podem ajudá-lo a tocar seus planos e não se importa nem um pouco em fazer um "teatrinho" quando necessário. Sua sensualidade não passa despercebida, e você aprendeu a usar essa arma muito bem. Principalmente entre quatro paredes. O perigo é se tornar muito dominador. O seu alicerce indica que você foi construído sobre as qualidades de individualidade, independência, criatividade, progressividade, liderança, invenção, estimulação, vontade firme, determinação, originalidade e coragem. Você pode tender a ser teimoso, egoísta e autoritário, se não for cuidadoso.
Letra Inicial T
Corresponde ao alicerce número 2 – Indica que você tem tanto amor para dar, tanta compaixão, que é capaz de passar a vida fazendo o bem para os outros, esquecendo que é uma pessoa e que também precisa receber ajuda e amor. Tome cuidado: agindo assim, pode acabar na posição de mártir. Até porque uma aura de santidade você já tem. É lógico que algumas vezes, não consegue perdoar ou esquecer um mal que lhe fizeram. Mas isso é o mínimo que pode fazer para se defender. O seu alicerce indica que você tem uma natureza amorosa e cooperativa. Você é um seguidor, diplomático, generoso, agradável, receptivo, analítico, paciente, amigável, atencioso, sensível, estudioso e emocional. Você pode ser também supersensível, emotivo em excesso, envergonhado e inclinado ao mal-humor e ao enfado, a menos que você se controle.
Letra Inicial U
Corresponde ao alicerce número 3 – Indica que você é amigável, aberto, generoso; é uma pessoa simpática, respeitada e fácil de se lidar, mas quando se trata do seu dinheiro, do seu tempo e de suas preocupações, nada é mais importante. Nem ninguém. Isso, sem dúvida, é um sinal de que você tem muito o que aprender sobre o crescimento da alma. Mas se controlar esse egoísmo e for um pouco mais diplomático no trato com as pessoas, já terá andado metade do caminho. Seu alicerce é o da felicidade, do riso, imaginação, trabalho artístico, charme, amor, amizade, intelecto, despreocupação, sentimentalismo e auto-expressão. Há inclinação, no entanto, para ser crítico, ciumento, lamuriento, convencido, superficial, indeciso e intolerante. Você deve se proteger contra isso.
Letra Inicial V
Corresponde ao alicerce número 4 – Indica que você tem uma lucidez fora do comum, quando se trata de julgar o mundo e as pessoas. E sempre diz a coisa certa. O problema é que vive com um pé no chão e outro na lua, ligando e desligando sua atenção com uma rapidez incrível. Por, isso muitas vezes, parece estar nem aí com o que ocorre no mundo ou à sua volta. Liberdade, para você, é a coisa mais importante do mundo e, por isso, costuma resolver sozinho seus problemas, sem pedir ajuda ou conselhos a ninguém. Você detesta ordens, tanto dar quanto receber. Só precisa aprender a controlar sua teimosia. Seu alicerce está fundado nas qualidades da paciência, confiança, persistência, organização, lógica, devoção, e na facilidade para a concentração. De natureza prática, você é um trabalhador, um construtor, que gosta da rotina e do sistema. Você pode ser recalcado,melancólico, se auto punir, rude, inflexível, a menos que seja cauteloso.
Letra Inicial W
Corresponde ao alicerce número 5 - Indica que nada pode deixar você mais feliz do que um elogio. É capaz até de dar uma festa, só porque alguém disse que é bonito. Em compensação, costuma entrar na mais profunda depressão quando se sente humilhado ou desrespeitado por alguém. E, em vez de por para fora sua indignação, se esconde e se isola de todos. Com crianças, você se dá super bem e fica totalmente à vontade para demonstrar todo o seu romantismo e sua criatividade. Cuidado! Esse excesso de sensibilidade revela uma certa vaidade pessoal, que precisa ser trabalhada. Pense nisso Seu alicerce está edificado sobre um desejo de mudança e variedade, com as qualidades de curiosidade, audácia, compreensão, além de um caráter progressivo. É bom julgador,persuasivo e gosta de liberdade. Você pode ainda ser irresponsável, imprudente, inconstante e protelador, se não for cuidadoso.
Letra Inicial X
Corresponde ao alicerce 6 – Indica que você é cheio de talentos, além de possuir muita energia e é capaz de levar seu entusiasmo a extremos, deixando as pessoas atrapalhadas, com a maior dificuldade em acompanhar seu ritmo, pois você se envolve em mil projetos ao mesmo tempo! E, mesmo que não termine nenhum, agita tanto no começo que é impossível para seus amigos ficarem de fora. Cuidado para não se tornar muito confuso e disperso, sem saber que rumo tomar. Principalmente nas coisas do coração. O seu alicerce é o da responsabilidade, devoção, firmeza, harmonia e equilíbrio, compreensão, simpatia, justiça, caráter doméstico, amor, serviço e habilidade de aconselhar. Você tende também a impor os seus princípios, a ser preocupado em excesso, intrometido, convencido, ciumento, a menos que se contenha.
Letra Inicial Y
Corresponde ao alicerce número 7 – Indica que você é muito independente, e que adora conquistar títulos, pessoas e fãs. É organizado, responsável e leva o maior jeito para ser chefe, pois sabe comandar um grupo como ninguém. Com tudo isso, não é de admirar que tenha um estilo todo próprio de fazer as coisas e não esteja nem aí para o que os outros pensem ou digam. Com o dinheiro, você é até meio pão duro, mas sabe muito bem fazer seu pé-de-meia. Só precisa ter cuidado para não virar um esnobe. E achar que não há espaço para algumas bobagens em sua vida, principalmente o amor. O seu alicerce é construído sobre análise mental, introspecção, perseverança, espiritualidade, estabilidade, qualidade, intuição, perfeição, fé, sensibilidade, discrição, necessidade de estar só, e aversão a confusões. Você é ainda propenso a ser melancólico, crítico, reservado, sarcástico e repressivo, se não se acautelar.
Letra Inicial Z
Corresponde ao alicerce número 8 - Esta é a letra do destino. E se seu nome começa com Z, você tanto pode ser o maior sortudo como ter vários problemas na vida, mesmo que não faça nada para isso. Por outro lado, tem um ótimo coração, muita criatividade e bastante energia física. Gosta de manter uma certa privacidade e tem muitos segredos que não conta para ninguém. Sua personalidade muda bastante, dependendo da situação. E por isso, às vezes, as pessoas não conseguem entende-lo. Tente confiar um pouco mais nos outros e... acredite: a felicidade existe!  O seu alicerce traz qualidades como eficiência, liderança, prática, julgamento, autoconfiança, inteligência, fé, poder, direção e controle, determinação e atitude comercial. Se não for cuidadoso, pode ser exageradamente materialista, descuidado, intrigante, valentão, além de reclamar atenção.































































A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.