sexta-feira, 26 de junho de 2015

ESQUECI DE TI

 

TEMPO

Andei pelo mundo, caminhei, naveguei,

Mas em ti eu não mais pensei,

E agora, neste recomeço, sem tropeço,

Eu já nem penso em ti…

Mas por vezes eu me indago,

Todas as vezes que falo,

Se deixei de lembrar de ti.

A lembrança presente na mente,

Os fatos diante dos olhos,

A certeza dos dias somente,

Do viver sem nenhum imbróglio,

Longe de questão inquietante,

Das palavras ditas sem portfólio,

Fico a ler a Divina Comédia de Dante.

Ah! Que alívio! Não mais os telefonemas,

Nem os sinais dos duvidosos fonemas,

Das frases feitas, sem direção ou tema,

Ganhar a serenidade do meu poema,

Fazer cada dia um novo alvorecer,

Sem nada para chorar ou temer,

Distante da prolixidade de inquieta alma,

Hoje na glória de mão em palma.

terça-feira, 2 de junho de 2015




                                               

  SUÉCIA E SEUS ENCANTOS
 
Suécia é uma monarquia constitucional com um sistema parlamentar de governo, com uma economia altamente desenvolvida e diversificada. O país ocupa o quarto lugar do mundo no Índice de democracia, depois da Islândia, da Dinamarca e da Noruega, segundo a prestigiada revista inglesa "The Economist". O país ainda é considerado um dos mais socialmente justos da atualidade, apresentando um dos mais baixos níveis de desigualdade de renda do mundo. Isso se reflete no fato da Suécia estar, desde que a ONU começou a calcular o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de seus membros na década de 1980, entre os mais bem colocados países do mundo de acordo com o indicador.
A Suécia é um país belíssimo, com paisagem espetacular, cidades incríveis, uma população educada (a maioria dos quais fala inglês) e uma história e cultura muito mais antigas do que o nosso Brasil. É um país voltado para as inovações e que deu ao mundo nada menos que o Prêmio Nobel, os carros da Volvo, os móveis da IKEA, as embalagens Tetra Pak, as roupas da H&M, a vodka Absolut, os grupos ABBA e Roxette, entre tantas outras coisas.
Mas morar por aqui é mais do que conviver com tudo isso. É conhecer a língua, se deparar com os novos desafios e aprender a cultura local. Agradando ou não, desde que cheguei à terra dos vikings sou uma estudiosa atenta. Num primeiro momento, certas coisas me pareceram estranhas (e algumas ainda continuam parecendo), mas se esse é o país com o qual tenho ligações civis, nada mais sensato que entender, respeitar e incorporar, no meu dia a dia, os costumes locais.
A língua sueca é muito difícil e uma das cinco  línguas germânicas setentrionais (ou línguas nórdicas). É falada por nove milhões de pessoas, predominantemente na Suécia e em partes da Finlândia, especialmente na costa e nas ilhas Åland. É mutuamente inteligível com as duas línguas nórdicas vizinhas, o dinamarquês e o norueguês. O islandês está mais afastado, em grande parte devido ao seu caráter arcaizante.
Os costumes, aqui, são bem diferentes. Vajamos alguns:

1 - Tirar o sapato antes de entrar: na nossa própria casa, na casa dos outros, na academia e muitas vezes até no trabalho e na escola. Esse costume começou por causa da neve no sapato, mas todo mundo faz isso mesmo no verão. Toda casa tem uma sapateira logo no hall de entrada. (acho que vou copiar isso, achei legal);

2. Fika: É uma pausa que se faz de manhã, entre 9:30 e 10:30, e/ou à tarde entre as 14:00 e 16:00 para tomar um café com um pãozinho ou doce. Mas o conceito de fika vai além do café com pão, é um momento de contato social e descontração;

3 - Fredagsmys: Na sexta-feira depois do trabalho ou escola a família se reúne para um jantar (normalmente tacos ou pizza) e para assistir a um filme juntos ou jogar algum jogo de tabuleiro ou videogame;

4 - Kosläpp (soltura das vacas): Aqui na Suécia existe uma lei que obriga as vacas a serem criadas soltas durante os meses quentes. Por isso no início de maio as fazendas de leite fazem a soltura das vacas. É a primeira vez que elas ficam ao ar livre depois de muitos meses dentro do curral. Elas saem todas felizes pulando. Normalmente esse evento é aberto ao público e as pessoas levam as crianças para ver;

5 - Janela decorada: As janelas suecas são tradicionalmente preparadas para colocar enfeites que normalmente são compostos por um abajour e uma planta, às vezes uma escultura, que dá um charme todo especial na casa tanto do lado de dentro quanto de fora (É bonito demais).

A cultura sueca é uma cultura aberta, fácil e igualitária, trata-se de uma cultura que recebeu influencias de outros países, por diferentes correntes, pela Alemanha, pela Igreja Católica, pelos Anglo-Saxões. Todos estes fatores têm deixado a sua marca na cultura sueca, sem mencionarmos o prémio Nobel que nasceu neste país. A Literatura e a música são partes importantes da cultura deste país, para não mencionar que a sua origem é Viking.

A Literatura sueca é desde fins do século XIX vibrante e ativa. August Strindberg é um dos mais populares escritores suecos. Atualmente Henning Mankell, com seus romances de Kurt Wallander, é conhecido mundialmente. Hoje em dia, a Suécia conta com mais um grande autor, Stieg Larsson, nascido em 1954 na cidade de Skelleftehamn e morto vítima de um ataque cardíaco em 2004, aos 50 anos, pouco após entregar aos seus editores a trilogia Millenium.

 
DICAS DE GRAMÁTICA

AO INVÉS DE ou EM VEZ DE, Professora?

- EM VEZ DE indica substituição, como no exemplo: “Coma verduras e legumes em vez de frituras para ter uma boa saúde”.

- AO INVÉS DE apresenta ideia contrária, uma oposição. Por exemplo: “Você deve ouvir mais ao invés de só falar, falar”.

HAJA VISTA ou  HAJA VISTO?

- HAJA VISTA é a única expressão correta, pois neste contexto a palavra “vista” é invariável. Mas o verbo “haver” admite concordância com o substantivo a que se refere.

- Ex 1: “Haja vista o ocorrido, não silenciarei, irei lutar.”

- Ex 2: “Hajam vista os acontecimentos, não irei negligenciar em nada.”

Dica: como a expressão “Haja Visto” não existe, deve-se dar a preferência ao uso da forma invariável HAJA VISTA.

=================================

Luisa Karlberg - É membro da Academia Acreana de Letras; Membro Fundadora da Academia dos Poetas do Acre; Membro da Academia Brasileira de Filologia; Membro da International Writers and Artists Association (IWA), sediada na cidade de Toledo, Ohio, USA. Coordenadora da Pós-Graduação em Língua Portuguesa (Campus Floresta (2011-2018); Orientadora de Pós-Graduação em nível de Mestrado e Doutorado; Orientadora de Pós-Graduação Lato Sensu; Orientadora de bolsistas PIBIC (Campus Floresta - UFAC); Pesquisadora DCR do CNPq (2015-2018). Grã-Chancelar da medalha J.G. de Araújo Jorge, pela Academia Juvenil Acreana de Letras; Embaixadora da Poesia pela Casa Casimiro de Abreu.
A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.